Ensino à distância: vantagens e desvantagens

Terminei o ensino médio em 2011. Naquela época, tentei o vestibular pra estudar Letras numa faculdade com ensino à distância. Fiz a tal da redação,…

by 

Terminei o ensino médio em 2011. Naquela época, tentei o vestibular pra estudar Letras numa faculdade com ensino à distância. Fiz a tal da redação, passei em 2º lugar, mas decidi tentar o processo seletivo de ensino presencial antes. Foi dessa forma que entrei no curso de Direito, coisa que me arrependo até hoje.

Em 2012, após ser aprovado no curso de Direito numa faculdade particular, iniciei os estudos em janeiro de 2013. As expectativas eram altas, estava empolgado por reencontrar uma amiga de infância na minha sala e tals. Mas aos poucos fui me decepcionando com o nível dos professores. Muita gente que sequer deveria estar ali. Mal educada, ignorante, prepotente… Em resumo: mal preparados.

No finalzinho do curso de Direito, em 2017, resolvi iniciar a faculdade de Produção Publicitária através do ensino à distância. Foi amor à primeira vista devido ao universo que conheci.

VANTANGES

Estudar no horário em que eu quiser, tendo disciplina e constância, claro.

Professores disponíveis pra tirarem minhas dúvidas, sem fazer piadinha diante de toda a turma, me intimidando;

Provas com questões de concurso público, de acordo com o conteúdo dado na sala de aula e material de pesquisa, diferente do presencial em que professores fazem umas provas que só Deus pra dar conta de responder;

Valor da mensalidade super acessível, totalmente o oposto do presencial, que me cobrava um valor alto pra uma estrutura precária.

Porém, assim como nem tudo é perfeito, eu encontrei alguns pontos que me incomodaram.

DESVANTAGENS

Alguns professores demoraram muito tempo pra corrigir os trabalhos e provas. Eu entendo que a demanda é grande, mas poderiam pelo menos deixar um aviso no web aluno.

Além dos livros com o conteúdo do curso, os professores gravam vídeos com o resumo de cada aula. Porém, há professores que fizeram um resumo tão cachorro que era melhor nem ter gravado.

No geral, as experiências negativas que tive foram com poucos professores de disciplinas teóricas e bem curtas. Meio que senti uma certa preguiça na hora de elaborar o conteúdo das aulas. Assim como tem professores desleixados no presencial, no EAD também temos alguns, infelizmente.

Eu super indico o EAD se você é aquela pessoa que gosta de estudar sozinho, não dispõe de muito tempo ou paciência pra encarar aulas diárias e tal. Além de economizar uma grana, não tem nada mais prazeroso do que ler as apostilas e na hora de fazer as provas, ver que entendeu uns 95% ou mais de todo o conteúdo. 😉 

3 comments

  1. Muito interessante a sua perspectiva, Adriel! E é uma perspectiva de quem teve experiências nas modalidades de ensino presencial e EAD.
    Percebo que, no Brasil, ainda há um preconceito muito grande com o ensino EAD. Muitos estereótipos sobre essa modalidade ainda são reforçados, como associar EAD a baixa qualidade de aprendizado ou má qualificação profissional, o que é super errado, mas eu sempre acho muito complicado a gente falar sobre as modalidades de educação numa perspectiva generalizante, seja ela qual for. Por exemplo, o ensino presencial ainda é a modalidade mais procurada quanto se trata de cursos de graduação, mas os preços de alguns cursos são absurdamente altos e nem sempre isso é reflexo do compromisso da instituição com qualidade, é só por exploração mesmo. E no EAD, eu acho que os estudantes precisam ser super comprometidos e disciplinados, porque muita coisa depende da autonomia do estudante, coisa que muitos deixam a desejar no ensino presencial, porque tem um professor, coordenador e outros profissionais cobrando comprometimento.
    Eu acho que 2020 vem mudando muito a maneira como algumas pessoas veem o EAD. Durante a pandemia, as plataformas de ensino virtual foram a salvação para que as instituições de ensino presencial não parassem as atividades e aqueles que sempre se mostravam mais resistentes acabaram tendo que ser mais flexíveis quanto ao EAD e até se surpreenderam com os resultados. Eu, por exemplo, que sou professor há 10 anos e atualmente coordeno um curso de ensino superior, estou achando as plataformas virtuais bem mais interessantes para realizar eventos científicos com palestrantes de fora, porque as pessoas não precisam viajar; por não depender de um local para a realização, o número de participantes não precisa ficar restrito a um número X de participantes; e ainda tem a possibilidade de deixar o evento gravado, para ver em outras oportunidades.

  2. O EAD funciona em parte para mim. Eu estudei um bom tempo pela plataforma do GSA, mas nunca recebi um retorno das atividades pelos professores. Com o EAD eu ficava meio disperso também, já que as aulas me davam sono. O meu EAD não podia ver as aulas na hora que eu queria, pois elas tinham um horário determinado. Enfim, hoje em dia já estou no estudo presencial, e posso dizer que prefiro ele.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

  3. Eu amei esse post, o EAD pode ser maravilhoso, mas eu não funciono com ele não. O EAD exige uma disciplina que eu não tenho, to toda confusa com as minhas aulas, que eram presenciais e passaram para EAD, Ah, sobre as pessoas do direito, realmente, tem que gostar muito do curso para aturar determinadas atitudes de muitas pessoas do meio.
    Fico feliz que você se encontrou nessa modalidade, eu amo que hoje em dia o EAD esteja crescendo pois ele permite o ensino a pessoas que talvez não tivessem como pagar por uma faculdade presencial.

    Boa sorte nessa nova jornada de estudante,

    Beijos
    Carol Justo | Justo Eu?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.