Começando de novo. Mais uma vez.

Se me perguntarem o que conquistei com a minha idade, eu vou dizer que apenas virei mestre na arte de tentar. E, infelizmente, desistir na…

by 

Se me perguntarem o que conquistei com a minha idade, eu vou dizer que apenas virei mestre na arte de tentar. E, infelizmente, desistir na ausência dos resultados ou na má resposta deles. Como meu humor oscila tal qual o clima, não sei dizer se isso me faz feliz ou miserável.

Mas de uma coisa eu sou bem orgulhosa de mim: sobrevivi bem e sozinha. Todos esses anos, por conta própria, me fizeram ver que mesmo escolhendo errado, eu consigo me virar.

A pessoa que antes culpava os progenitores, a morte dos pais, a aparência, a ausência familiar e a sociedade, hoje sabe muito bem que ela é a responsável por seus sucessos e frustrações.

Tudo está passível de mudança.

Mas, o que eu estou começando de novo e mais uma vez? Meus sonhos, literalmente.

Desde bem nova eu sonho bastante. Sonhos vívidos que às vezes me fazem pensar na real existência de universos paralelos. Tais sonhos me fazem acordar na madrugada, com o coração acelerado e as mãos ansiosas para escrever.

Não é algo sobrenatural ou especial a ponto de me considerar uma escolhida do universo. Eu só resgato tais momentos e os guardo para um dia escrever e os compartilhar com o mundo.

Dessa vez, aos 27 anos de idade eu quero realmente finalizar estes 6 encontros com o outro lado do universo. Mesmo que fique somente como lembrança do meu singelo toque de vida.

Todo o potencial que muita gente dizia ver em mim nos meus mais novos anos de ingenuidade, quero finalmente fazer brilhar. Não para eles, que há anos eles deixaram de olhar para mim. Agora, o meu céu é vasto em espaço e completo com as poucas e mais brilhantes estrelas, que são os meus amigos.

Para a pessoa mais especial do meu mundo, você vai conseguir terminar pela primeira vez.

Um beijo da Noona, Ana.

2 comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.