Vem cá! Eu te conheço?

É bem comum quem usa óculos ter um pouco de dificuldade pra reconhecer pessoas quando está na rua. A coisa piora ainda mais se a…

by 

É bem comum quem usa óculos ter um pouco de dificuldade pra reconhecer pessoas quando está na rua. A coisa piora ainda mais se a gente for desatento e lerdo. Me encaixo nos dois perfis, infelizmente. Luto pra ser ágil, esperto, mas, migo… Tá no sangue! Meus pais são assim e, obviamente, tô no mesmo barco. 😛 

Outro dia, junto com alguns amigos, fomos à uma espetaria conversar, matar a saudade e, claro, degustar um delicioso espeto completo. (Só pra constar: não gostei muito da comida. 3/4 estrelinhas.) O papo rolou solto, a gente estava animado, empolgado e falando mal da cidade inteira, pois somos Meigos & Abusados. 

Confesso que eu fiquei olhando pra todo mundo do local, pois fazia muito tempo que não saía de casa. Encarei os clientes e, principalmente, os garçons. Além de educados, eles são uma gracinha. (Só pra constar: que gato um funcionário baixinho e bombado. Uma delicinha! 5/5 estrelinhas pra ele.) Em determinado momento, uma menina começou a dar tchau pra mim, abrindo um sorrisinho discreto. Fiquei assustado!!! 

Quando vi a menina acenando pra mim, não levantei os braços de primeira, mas ela continuava dando tchau. Pra não parecer mal educado, dei tchauzinho também, acreditando que era uma cantada e ela pensava que eu era hétero. Só sei que a guria levantou da cadeira e veio em minha direção. Naquele momento, o meu coração acelerou, eu comecei a soar gelado…

A menina chegou perto de mim e disse “Oi, Adriel! Eu te sigo no Instagram. Lembra de mim?”. Não, eu não lembrava dela. Tá, eu lembrava em em partes. O rosto dela não me era estranho, mas e o nome? Deus, pelo amor de Deus… Qual o nome dessa criatura, só conseguia sorrir e ficar mudo. 

Pra não ficar calado por muito tempo, soltei um “Oi, linda! Claro que lembro. Como tu tá?”. Detalhe mais importante: eu ~ABRACEI~ a garota no meio de todo, quando todos os órgãos de saúde recomendam o distanciamento social. Mas… Como eu iria lembrar disso, se estava agoniado pra relembrar o nome da menina??? Não dá, gente! Simplesmente não dá pra pensar em pandemia, manter o sorrisinho amarelo no rosto e tentar buscar na memória o nome de quem você não faz ideia de quem seja. 

 

Me despertando dos devaneios, a  Manu (sim, esse é o nome dela) disse que só veio me cumprimentar porque viu que eu não a reconheci. Obviamente, inventei uma desculpas, afinal, sou bom com desculpas. Tenho um blog com esse nome, né? Falei pra guria que estava sem óculos, por isso não consegui visualizar direito. Pedi perdão, fiquei sem jeito, ela também e depois cada um deu um tchauzinho menos empolgante, dessa vez longe um do outro. 

Até agora tô com mil dúvidas:

Como ela tem facilidade pra reconhecer nomes e rostos? Será se as pessoas viram a gente se abraçando? Eu passei muita vergonha? Seria estranho mandar mensagem pra ela me desculpando por qualquer coisa? Sinceramente, tô com mil nóias aqui na mente.

One comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.