Seja ambicioso!

  Desde quando me entendo por gente, sempre fui muito ambicioso na vida. Ou seja: a minha lista de coisas que eu quero-mas-preciso-ficar-rico é enorme,…

by 
 
Desde quando me entendo por gente, sempre fui muito ambicioso na vida. Ou seja: a minha lista de coisas que eu quero-mas-preciso-ficar-rico é enorme, e a tendência é crescer a cada dia. Sim, eu sou consumista assumido e não tenho vergonha disso. Deveria, mas, mas não tenho. 
Essa ambição toda começou quando eu ainda tinha uns 6 anos de idade, justamente quando o meu avó, que hoje é aposentado, chegava em casa com alguns centavos das mercadorias que conseguia vender na feira. Inevitavelmente, ele era obrigado a me dar R$ 0,10 centavos pra eu comprar balinha, caso contrário, ficava muito chateado e mudo por algumas horas (no máximo até conseguir R$ 0,50 centavos). 
Eu não sei se a atitude do meu avô e dos meus pais foi a correta, porque eu cresci com aquela ideia de que eu posso ter tudo o que eu quero a qualquer momento e, na realidade, a vida adulta não é bem assim. Pensem no susto que eu levei quando cresci e vi que pra ter um celular, por exemplo, eu teria que trabalhar ou aguentar um simplesinho, pois meus pais não tinham dinheiro sobrando pra investir em um melhor.
Como você pode perceber, minha infância não foi nada “ostentativa” e nem rica, mas, eu não posso reclamar do carinho, atenção, brincadeiras e tudo o mais que recebi em toda essa fase. E não é disso que estou “reclamando”. O que eu acho “ruim” é o fato de todos terem me dado o que eu queria de mãos beijadas na infância, sem explicar o valor financeiro que aquilo tem. Ninguém me mostrou o mundo real, sabe?
Se hoje eu sei o valor que custa tudo, é porque eu ralei muito pra conseguir aquele celular dos meus sonhos (um iPhone que custou todo o meu salário de 2014, que inclusive pifou); se hoje eu sei que as compras de casa custam um absurdo, é porque eu tive de morar sozinho e conhecer de perto o quão assustador pode ser. Da mesma forma foi com o curso de inglês: como ele é um pouquinho caro, ninguém podia pagar pra mim, então, a forma de eu aprender a língua foi focado naquelas aulas “chatas/bobas” do ensino médio e estudar sozinho. Só depois que comecei a trabalhar foi que eu consegui pagar um curso, mas digo com orgulho que tudo o que eu sei, foi aprendendo sozinho. 
A experiência de levar um belo tapa da vida não é ruim, longe disso. Esse tipo de situação te fortalece como pessoa e te faz ser mais compreensivo, tanto é que estou vivendo aquele velho drama de não ter o celular que quero, porém, hoje eu sei que custa caro e eu tenho de batalhar novamente por isso. Se eu acho ruim? De maneira alguma. Eu amo um desafio. 

Se você também é ambicioso, batalhe por tudo o que deseja e não desista, pois o universo sempre ajuda quem mostra esforço. Vai por mim! 

 Um beijo! 

30 comments

  1. Olá, Adriel! =)
    Eu não sou muito consumista. Na realidade, eu gosto muito de investir em materiais de natação (treino e competição), livros e filmes. Não ligo pra comprar roupas ou calçados. Sou mesmo de investir em coisas que a maioria das pessoas acha loucura investir.
    Mas olha… eu também quero um celular com uma memória interna bem massa e uma câmera legal (com a frontal e flash). E não tá fácil, né? A crise tá complicada, amigo. Mas chegaremos lá.
    O que importa é nos sentirmos bem e não perdermos a nossa essência.
    Que a nossa ambição sempre nos leve a coisas boas, mas, sobretudo, que não nos roube a paz de espírito e a boa índole.

    Um abraço!

    Blog || Fan Page

  2. Eu acho que não me considero "Ambicioso", sabe? Eu apenas quero ter uma vida melhor, conseguir comprar roupas que sempre idealizei, morar numa casa dos sonhos, crescer na vida. Mas acho que ambição não, nunca fez parte de mim. Acho que isso de ambição só começa a prejudicar quando as pessoas começam a passar por cima das outras, essas coisas, mas quando é pro próprio crescimento honesto, vale muito ^^
    Abraços!!!

    ricknegreiros.com.br

  3. Oi Adriel,
    Eu gosto da ambição controlada. Tenho muito problema com meu pai por causa disso. Ele e as vezes minha mãe, escutam os 'ganhos' de filhos de amigos e descontam em mim. É revoltante.
    Mas gostei do seu ponto de vista, a gente só aprende o valor do dinheiro quando somos testados HAHA Lembro com meu primeiro salário gastei tanto em livro e depois me vi arrependida. Daí, depois fiz de novo kkkkkkkkkkkkkkkk Agora desempregada, por um bom tempo, sinto na pele.

    tenha uma ótima quinta. =D
    Nana – Obsession Valley

  4. Me identifico muito com você, Adriel! Eu posso dizer que sou ambiciosa sim, pois não me contento em passar a vida em um único trabalho ou na mesma cidade muito menos com um pequena conta bancária. Eu só gostaria de passar tudo no débito, poxa! HAAHA Tenho ambições de vida e de dinheiro e também percebi o valor das coisas quando comecei a trabalhar e pagar as contas. Ainda moro com minha mãe, mas sempre faço questão de ajudar com um pouco do meu salário nas contas de casa, pois hoje eu vejo o quanto pesa todas as contas e impostos. Algo de bom eu percebi, é que quando eu quero algo e preciso de dinheiro pra isso, eu coloco a mão na consciência e economizo mesmo. Eu quase comprei um Iphone depois do acidente com o meu celular, mas sei que não preciso de um celular só para mostrar que eu tenho algo a mais, não agora pelo menos. Prefiro guardar o dinheiro para um futuro show da minha preferida e por aí vai, porque minha maior ambição na vida é poder me contentar com o que a vida tem a oferecer. E se não for o suficiente, eu corro atrás, sem problemas. Ambições e oportunidades não faltam, só falta coragem e dinheiro mesmo haha Beijos!

  5. Oi Adriel,
    É incrível como sempre me identifico com seus posts! Também sou muito ambiciosa e consumista, quero tudo que vejo.
    Quando era pequena também ganhava tudo de mão beijada, e como sou filha única sempre fui mimada pelos meus pais heheh Mas ai chegou uma época que eles pararam de me dar tudo e foi um choque hahah A coisa mais cara que comprei com meu dinheiro foi uma máquina semi-profissional, que pra mim foi uma fortuna, juntei dinheiro durante meeeeses já que ninguém queria me dar. Só assim passei a dar mais valor no dinheiro. E a história não termina ai, fui roubada e levaram a minha mochila e adivinha o que tava lá dentro? Minha máquina NOVINHA, tinha nem cinco meses ainda. Nunca fiquei com tanta raiva na vida 🙁

    Bjs
    oh, wow, lovely ❁

  6. Hahaha, eu também sou bastante!
    Me identifiquei com a lista de coisas kkkkkkkkkkkk
    Mas acho que ser ambicioso até é saudável até certo ponto, pois lutamos por aquilo que a gente queira sabe?!

  7. Eu sinceramente acho que pessoas ambiciosas também são empreendedoras. Assim como você, tive o que meus pais puderam me dar na infância, mas só aprendi o real valor do dinheiro quando cresci. Uma das histórias mais impressionantes na minha vida foi como eu aprendi inglês sozinha, decidi aos 9 (uma criança!) que queria conhecer outros países, comecei a trabalhar aos 15, guardei dinheiro e no fim, paguei por meu próprio intercâmbio. Hoje, isso foi um ponto de corte pra mostrar que ser ambicioso e lutar pelo que quer é gratificante. 😀

    Tem sempre algo que levo comigo, que acho importante ser compartilhado: "A goal without a plan is only a wish" – Unknown <3

    Parabéns pelo post! E eu fiquei hiper feliz que você baixou meu planner! hahaha

    Grande beijo!
    aqueledevaneio.com <3

  8. Aiiiii Adriel, também sou consumista, acho que não ao extremo, mas sou… Sempre quero comprar algo novo, uma roupa, sapato, algo pra casa, cosmético, qualquer coisa, mas o prazer de comprar é maravilhoso! Seria melhor ainda se não tivesse que pagar, né? HAHAHAHAHA A minha infância foi super simples também, mas eu sempre tive noção das coisas sabe? Do que dava pra comprar, pra ter e tal, então não sofri muito quando cresci não. E como trabalho desde os 16 anos aí ficou mais fácil. E a gente tem que ser ambicioso mesmo, querer sempre o melhor pra nós, se não quem vai querer? Adorei o post!
    Beijosss meu lindo!

  9. Oi, Adriel!
    Dependendo do produto, eu sou bem consumista.
    Gostei muito do seu texto. Eu creio que ambição é o que move o mundo.
    Beijos
    Balaio de Babados

  10. hahahaha. realmente o dinheiro anda faltando pra todo mundo, mas já, já esse danado aparece.

    o iPhone não é só pra ostentar, menina. hahaha. o sistema dele é incrível e praticamente nunca trava igual ao android. quando eu tinha o meu, era guardado sempre pq eu tinha medo dos bandidos. 😛

  11. gzuis! :O eu imagino a sua revolta e a vontade de dar umas surras nesses moleques do cão. hahaha. mas, olha, já, já vc compra outra. torcendo aqui!

  12. Oi, Adriel!
    Eu também sou bastante consumista e as vezes tenho medo desse meu lado haha
    Mas, olha, uma coisa que me deixou muito focada ultimamente é meu plano de viagem. Pretendo visitar a Europa com o namorado e realizar esse sonho me deixou muito diferente: daquelas que pensa duas vezes antes de comprar algo porque "esse dinheiro pode ir pra poupança da viagem…" hahaha
    Enfim, adorei sua reflexão, fiquei pensando na minha infância e acho que eu tive os dois, sabe? As vezes eu ganhava dinheiro, mas recebi muitos nãos, então acho que aprendi que não era fácil assim haha
    Beijoss
    vidaemmarte.com.br

  13. Oi Adriel!
    Amo visitar seu blog e sempre me identifico com as postagens!
    Também nunca tive nada na mão, filha de pais separados, minha mãe não tinha condições de me dar as coisas caras e tals, mas nunca me faltou nada que precisasse.
    Sempre fui ambiciosa e sempre vou ser hahaha, quando era mais nova vendia bala na escola, bijuteria, adesivos, fazia dinheiro como dava pra ter as coisas que eu queria, e sou assim até hoje!
    Sonho alto, beeem alto, e ralo muito pra alcançar meus objetivos. Tem que ser assim né?

    Beijos!
    Ana | Blog Entre Páginas
    entrepaginasblog.blogspot.com.br

  14. Me identifiquei muito! Sou muito consumista, toda hora quero comprar várias coisas e nunca tenho dinheiro. E eu detesto pedir as coisas para os meus pais, só peço quando é necessário ou quando quero muito, na maioria das vezes fico na vontade. Estou louca atrás de um emprego para ter um dinheiro para mim e para ajudar nas despesas da casa mas está difícil encontrar um que concilie com a faculdade. Ter ambição faz a gente crescer, acho muito importante. Adorei seu blog, estou seguindo!
    Beijo grande,
    facebook.com/cafevodkaeliteratura/?ref=hl

  15. Oi, Adriel. Que bacana tu falar sobre isso aqui. A primeira vez que consegui trabalhar, num estágio, eu comecei a juntar dinheiro e fui pra Buenos Aires com meu namorado. Depois, foquei em terminar a faculdade e agora que tô num trabalho "oficial", tô podendo juntar mais. Daí, quero realizar um dos meus maiores sonhos, espero estar falando dele em breve lá no blog ~momento tentando deixar os outros curiosos~. Enfim, tudo isso pra dizer que minha maior ambição da vida é viajar muiiito <3

    beijos
    brilhodealuguel.com

  16. Para certas coisas também sou bem consumista. Mas é bom ser ambicioso e se esforçar para conseguir o que quer. Ótimo texto!
    Beijos.
    virandoamor.blogspot.com.br

  17. Eu sempre economizei muito pra ter as coisas que queria e só consegui a maioria delas depois que comecei a trabalhar.
    Sobre o curso de inglês, eu sempre fui apaixonada pela língua e meus pais também não tinham dinheiro pra pagar curso. Com 12 anos comecei a estudar sozinha, complementando os assuntos das aulas, ouvindo música, vendo filmes legendados e traduzindo tudo no dicionário (naquela época internet era uma coisa rara haha) e aprendi muito mais do que se tivesse feito um curso. Acho que quando temos força de vontade, conseguimos tudo, mesmo que demore um pouco.
    Beijos
    Bluebell Bee

  18. Sou EXATAMENTE igual a você, ambiciosa e consumista de carteirinha. Agora dei uma parada porque preciso economizar uma grana.
    Comecei a ser assim quando economizava 10 reais da minha mesada todo domingo, para comprar um videogame novo.

    Beijos, Love is Colorful

  19. Oi
    Eu também sou ambiciosa, mais como estou desempregada isso fica meio de lado e quando morei sozinho, sabia valorizar o dinheiro dos meus Pais, minha infancia foi boa tive muitas coisas e meu pai é caminhoneiro então sempre chegava cheio de moedas ai eu e minha irmã aproveitávamos esse dinheiro.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

  20. Lembro que quando era criança, sempre tive de tudo. Tudo MESMO. Meus pais
    tiveram uma infância muito simples e sofrida, por isso resolveram dar de
    tudo para mim e pro meu irmão. Imagine duas crianças com caixas enormes (sério)
    de brinquedos? A casa inteira era cheia de coisas, bicicletas, patinetes,
    video games, bonecas, espadas do he-man, álbuns com tazoos do looney tunes,
    piscina de mil litros, cabaninhas da mônica e do gugu, arminhas de tiro á laser.
    Mas não se engane, mesmo tendo essas ótimas fases financeiras, onde vivíamos
    indo passear em parques, shoppings, mc donalds, também passamos por fases
    difíceis. E me lembro que eu e meu irmão sempre fomos muito compreensivos com
    isso (eu mais que meu irmão hahaha). Lembro que a mamãe sentava comigo e
    falava baixinho, devagar: a mamãe não tem dinheiro pra comprar isso agora…
    Mas quando a mamãe tiver, ela promete que vai fazer algo tudo bem? E eu entendia
    numa boa. Sempre pedia coisinhas, mas se me era negado eu não ficava brava.
    E isso era bom, minha mãe e pai sempre impuseram certos limites e sempre nos
    obrigava a dividir tudo que tínhamos: desde brinquedos até doces. Por isso,
    cresci uma menina nada egoísta, que adorava dividir o que tinha e que
    nunca tirei sarro de crianças com poucos recursos, como alguns amigos meus.
    Entendi tudo o que disse no texto. Acho que tive muita sorte de certa forma
    e que você percebendo isso, poderá passar os melhores valores pros seus filhos.
    Parabéns!
    passaro-de-inverno.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.