free hit counter

Resenha: “Menina, desliga o celular!”

Um livro viciante do início ao fim, assim como as redes sociais são.

by 

É fato incontestável que o ser humano está se tornando a cada dia mais dependente das tecnologias, principalmente o celular. Ao mesmo tempo em que facilita a vida, esses produtos também diminuem o contato físico entre as pessoas e as alienam, mesmo tendo na palma da mão um mundo de informações.

No livro “Menina, desliga o celular!”, nos deparamos com a advogada Evie, uma mulher de 30 e poucos anos que é completamente viciada nas tecnologias da vida, sendo capaz de enviar diariamente 90 e-mails pessoais, fora os profissionais. Justamente por este motivo (e após travar o servidor do escritório do trabalho devido à quantidade de conversas online), ela foi demitida quando estava próxima de ser tornar sócia da empresa.

Depois de parar pra pensar sobre sua demissão, Evie chegou à conclusão de que realmente estava dependente da internet. Por exemplo: se precisava do número de algum lugar, nunca pegava a lista telefônica, mas fazia uma rápida busca no computador; se precisava desmarcar algum compromisso, nunca ligava pra pessoa, apenas mandava um e-mail; da mesma forma funcionava com os papos: sempre era pelo Facebook, Twitter, WhatsApp… Raras eram as vezes em que se reunia com a sua turma.

Diante de uma realidade completamente triste, Evie decidiu que ficaria sem usar a internet por um tempo. Adivinha o que ela fez? Quebrou o próprio laptop e abandonou um BlackBerry, passando a usar um celular pebinha.

Longe da internet e de toda a vida online, a vida da advogada melhorou demais, pois para se comunicar, ela passou a usar o bom e antigo método: encontro cara a cara (nada de web cam, SMS…). Felizmente, com esta medida, Evie conseguiu dar atenção a sua avó que estava doente, se reaproximou da sua mãe e amigas, além de ter mais “sorte” nos relacionamentos.

Menina, desliga o celular!” é um livro cheio de tapas na cara e que nos faz refletir sobre o que estamos lidando com a nossa vida virtual.

Com uma escrita super gostosa, a Elyssa Friedland acertou em cheio ao tratar sobre os vícios tecnológicos.

Agora eu te pergunto: será se realmente vale à pena ficarmos tanto tempo diante das telinhas, enquanto poderíamos estar cara a cara com outras pessoas?

30 comments

  1. Esse tipo de livro faz a gente perceber o quão vagas estão nossas relações com as pessoas e com o mundo de maneira geral. É triste 🙁

    heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  2. Adorei o post.Eu me mantenho muito presente nas redes sociais por conta do blog e tal. As tecnologias veio para ajudar todo mundo, e confesso que sou dependente do celular kkkk, não consigo ficar sem!
    Abraços

    ricknegreiros.com.br

  3. Mas geeeente, eu amei o layout novo *-*

    Não posso julgar a Evie, porque tem dias (esporádicos) em que chego a enviar uns 100 e-mails pessoais tbm heh E eu acho um absurdo quando a minha mãe me aconselha a consultar a lista telefônica… como assim??? google tá aí pra isso =P
    Acho que eu me divertiria muito lendo, viu?

    Beijo!

  4. Gostei muito da resenha. Faz a gente pensar em quanto tempo passamos na frente do celular e perdemos momentos com pessoas reais né!
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

  5. O livro já de cara parece ser muito bom, amei a resenha, e to louca para ler.
    É bom livros que nos fazem refletir assim, até porque realmente o destino do ser humano é estar cada vez mais assim, ligado na tecnologia, e desligado da humanidade, do contato face a face (e esse face a face não é facebook, viciados. haha).
    Bjs.

    Adri, amei o layout novo. ♥

    jayhanadenardi.blogspot.com.br

  6. Escreveram esse livo pra mim? Hahah. Acho que tô precisando fazer o mesmo que a personagem… só falta encontrar algo que mereça minha atenção tanto quanto as tecnologias. Enfim, adorei a resenha e fiquei curiosa pra ler!

    Virando Amor

  7. Adorei este layout novo! <3
    Não conhecia esse livro, mas parece super legal pelo tema que trata. Eu penso constantemente sobre isso, eu não sou viciada em celular, mal o utilizo (pra falar a verdade só tenho o whatsapp porque sou obrigada) – mas a internet já é outra coisa, porque basicamente tudo o que faço preciso dela. Mas não troco isso por uma saída com os amigos não, e sinceramente prefiro conversar com as pessoas pessoalmente. =)

  8. Oi Adriel, adorei essa resenha! Confesso que fiquei com um pouco de medo de virar como a personagem principal, só que na minha própria vida hahaha, o livro me parece muuuito legal e já vai pra wishlist!
    Um abraço grandão! Tem projeto novo, corre lá hein!
    vishamiga.blogspot.com

  9. Não conhecia esse livro mas parece mesmo ser uma ótima leitura. Eu sou uma daquelas pessoas que quase sempre que le o tipo de critica que o livro faz, acha que é exagero.

    Mas no fundo, no fundo, sei que exagero na verdade é o de algumas pessoas com o celular e a internet. Eu não me acho extremamente viciada mas admito que não sei mais viver sem a internet.

    Procurar lugares, pedir comida, ler sobre novos filmes e enfim… tudo.

    Claro que a internet trouxe grandes avanços e muuita informação mas as vezes pode atrapalhar né? Enfim, curti a resenha e me interesse pelo livro!

    Beijos
    A Mente Transborda
    Curta no Facebook

  10. Já amei a ideia do livro só pelo título, hahahaha! Acho super interessante um livro sobre isso! Queria muito fazer o mesmo, porém de vez em quando. Apesar da tecnologia afastar as pessoas, a gente precisa aprender a usá-la na hora certa! Tirar um dia ou um final de semana para se desligar do celular, notebook ou qualquer outro meio de comunicação atual é uma delícia! Beijoss

    apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

  11. Nossa, eu ainda não havia visto/lido sobre esse livro, mas me deu muita vontade de lê-lo, da próxima vez que for a livraria irei procura-lo, pois parece ser ótimo.

    Respondendo sua perguntinha final, acho que nada substitui uma conversa olho no olho, ouvir boas gargalhadas e não apenas ler os "kkkk" ou "rsrsrs". O contato humano não pode se restringir apenas ao virtual, afinal tudo em excesso faz mal, por isso é bom saber dosar o virtual e o real. Amei o a resenha <3

    ~ barbieseumundopink.blogspot.com.br ~

  12. Não conhecia a existência desse livro. Acho que eu to igual a Evie, por isso até hoje não conheci nenhum cara assim, no meio da rua e tal, só pela internet mesmo, o que é um saco as vezes. Já quero ler esse livro, porque parece que me descreve. Vai que me encoraja a sair mais por aí sem ficar vidrada na tela do celular né? ADOREI O NOVO LAYOUT! (não sei se ainda tá pronto ou você tá alterando agora, mas sei que tá bonito)

    Beijos!
    likeparadise.com.br

  13. OI
    eu não conhecia esse livro, gostei da resenha e realmente estamos dependentes das tecnologias, mas eu ainda olho em lista e prefiro conversar cara a cara, fiquei curiosa com a leitura e para saber como ela lidou com a falta d tecnologia.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

  14. siiiim. *-* geralmente me distancio a internet nos fins de semana… tão bom aproveitar o dia fazendo outras coisas fora do nosso dia a dia. <3

  15. Adorei a premissa do livro, mas é um romance mesmo ou um autoajuda? Não consegui entender muito bem…

    Abraço,
    omundodemis.blogspot.com

  16. Adri, amei a ideia base do livros e as mensagens transmitidas. Imaginei muitas vertentes de possíveis prosseguimentos de lições incríveis. Estou precisando demais conseguir esse tipo de desapego atualmente. Super vou deixar ele na minha wishlist, rs.

    SEMQUASES.COM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.