Escrevendo em diários

Quando a gente vai ao psicólogo/psiquiatra/terapeuta/analista, geralmente, eles pedem pra escrevermos uma carta ou algo sobre nós, nossa vida e pessoas próximas. É fato que…

by 

Quando a gente vai ao psicólogo/psiquiatra/terapeuta/analista, geralmente, eles pedem pra escrevermos uma carta ou algo sobre nós, nossa vida e pessoas próximas. É fato que a escrita ajuda no tratamento, principalmente a entendermos nós mesmos.

Eu amo ler, mas gosto mais ainda de escrever. Eu e as palavras temos uma amizade muito íntima. Então, colocar os sentimentos numa folha de papel não é dificuldade alguma pra mim… Até gosto dessa prática! ❤

Ano passado eu estava gostando demais de uma pessoa e, infelizmente, não podia me declarar ou falar o que sentia, pois o cara iria pensar que eu era doido. Talvez eu até seja mesmo…

Para lidar com o sentimentos e oscilação de humor, resolvi escrever um livro. Em resumo, esse foi o motivo de eu criar “O outro eu”, obra que eu pretendo lançar um dia (quem sabe ainda neste ano!). Ao todo, foram 3 meses me dedicando o máximo possível aos personagens e ao desenvolvimento da história. Foi como uma terapia pra mim!

Agora, em 2020, resolvi continuar usando a escrita pra poder me conhecer mais e, claro, colocar pra fora pensamentos que ficam na minha mente. Eu poderia escrever uma outra história, usar o blog pra isso… Contudo, tô naquela fase em que não quero expor muito as cicatrizes que se encontram abertas por aqui. Sendo assim, resgatei o velho hábito que tinha de escrever em diários.

Sou #aloka dos itens de papelaria. Escolher um caderno pra chamar de diário foi uma tarefa uma tanto quanto difícil, porém prazerosa. Após escolher o bendito, fiz uma capa simples e já comecei a desabafar.

Tento escrever todo dia no diário, mas também não me pressiono. Há dias em que chego em casa tão cansado que sequer pego no celular ou livro pra ler… Também não forço a escrita! A intenção é ter um cantinho e um momento só pra mim, mas se não estiver à vontade, tudo bem adiar pra depois.

No meu diário eu compartilho dores, amores, conquistas, medos, sonhos, objetivos… Escrevo aquilo que se passa na minha mente! Me sinto aliviado depois de colocar os sentimentos pra fora…

Se você não dispõe de grana pra uma terapia ou não se sente confortável pra desabafar com alguém, tente tirar um tempinho pra escrever.

Às vezes, as respostas podem estar dentro de você mesmo! 😉

8 comments

  1. Não sou de escrever em diários. Quando criança eu já tentei mas fui péssima!
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Rumo aos 4K no instagram

  2. Muito legal esse hábito Adriel. Eu já fui de escrever mais e hoje em dia tenho uma agenda chamada 'One Line a Day', que tem um espaço pequeno para você resumir o que aconteceu no seu dia. Está sendo perfeito pra mim, que não estou com muito tempo para me dedicar a algo mais complexo. Um abraço!

  3. Ai eu ameiiii. Eu queria usar meu bullet journal como um diário mas ele acaba não tendo tanto espaço pq eu gosto de decorar e usar minha criatividade todinha nele, acho que vou comprar um caderninho pra escrever tb. Faz bem pra gente poder desabafar em um lugar só nosso, que sabemos que não será invadido…

    Depois de um tempo conta pra gente como está sendo, se você se adaptou, se fez bem, etcs

    bjssss

    Carol Justo | Pink is not Rose

  4. ah, pode deixar que eu conto, sim! <3

    eu queria ter começado o bullet este ano, mas reconsiderei a ideia justamente por conta disso. mas se organizar direitinho, dá pra inserir um espaço pra colocar o resumão do dia. 😉

  5. Amo escrever e ler qualquer tipo de diário. <3
    É uma delícia! 😀
    Aliás, recomendo um livro chamado "Devoção", da Patti Smith (tem resenha dele no meu blog), cuja primeira parte é justamente um diário. Certeza que você irá gostar.

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

  6. eu tbm adoro ler diários ou livros na vibe de registro de memórias, tipo a biografia da Rita Lee. é muito intimista. <3

    vou procurar a resenha do texto q vc falou!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *